sexta-feira, 17 de junho de 2011

SÃO JOÃO NO RECÔNCAVO - Prefeitura tenta devolver o direito a queima de espadas

Redação CORREIO (on line) em 17/06/2011 17:55h e Do G1 BA, com informações da TV Subaé 17/06 15:32h

Prefeitura de Cruz das Almas recorre da decisão do TJ em proibir a guerra de espadas

A prefeitura (...) recorreu nesta sexta-feira (17) a decisão tomada pela juíza Luciana Amorim, do Tribunal de Justiça. De acordo com informações de Maurício Medeiros, assessor da prefeitura, os documentos foram entregues na vara criminal da cidade por volta das 8 horas da manhã.

Ainda segundo o assessor, qualquer decisão que a Justiça tome a prefeitura de Cruz das Almas irá acatar.

A guerra de espadas, tradicional em Cruz das Almas, foi proibida pela Justiça nesta quinta-feira (16). O Tribunal de Justiça aceitou ação do Ministério Público do estado(MPE) pedindo o cancelamento da guerra, prevista e autorizada pela prefeitura da cidade para os dias 23 e 24 de junho, segundo informações da TV Bahia.

Segundo a prefeitura, todas as medidas de segurança são tomadas para evitar incidentes. Para o MPE, se trata de uma decisão que deve proteger a integridade física dos moradores da cidade e também o patrimônio público do município.

(...)

O prefeito do município (...) disse que recebeu a notícia com surpresa e lamentou que a decisão tenha sido tomada a sete dias do início da festa. Segundo o órgão, tanto a queima de espadas quanto a fabricação dos fogos de artifício foram disciplinados na cidade. De acordo com o prefeito, os prejuízos serão grandes, tanto para quem fabrica as espadas quanto para a comunidade que se envolve na festa e a 'guerra de espadas', além de ser tradição, tem uma delimitação.

O comandante da Polícia Militar de Cruz das Almas, Major David Lanzilloti, disse que encaminhou um ofício ao comando da PM, em Salvador, informando da decisão judicial que proíbe a guerra de espadas na cidade.

Fontes: http://www.correio24horas.com.br e http://g1.globo.com/bahia/noticia

Nenhum comentário:

Postar um comentário