quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Wesley Rangel o impulsionador do Axé Music nos deixa


Wesley Rangel - Reprodução Facebook

O produtor musical e dono do famoso estúdio WR Bahia morreu na madrugada do último dia 06 deste mês. Rangel e o estúdio WR trabalharam e projetaram nomes como Daniela Mércury, Chiclete com Banana, É o Tchan, Olodum, Timbalada, Márcia Short, Cheiro de Amor, Banda Beijo, Terra Samba, Ara Ketu, Harmonia do Samba, Asa de Águia, Banda Eva, entre outros.

Meyre Kal, quanto participou da coletânea “Lambada Brasileira”, gravou a canção “Acesa por você”, do compositor Osmarosmam em 1989, e pôde ter a oportunidade de conhecer o profissionalismo e alta qualidade dos estúdios WR Bahia.

Para Ragel, família e amigos, o nosso carinho, o seu legado pra sempre nos acompanhará e permanecerá na lembrança de todos. Muito Obrigado por acreditar e cuidar tão bem do Axé Muisc de qualidade!

domingo, 3 de janeiro de 2016

Ilusão - Meyre Kal - 30 anos de axé - sucesso da Nova Banda

Pra Começar bem o ano de 2016, Ilusão - pra lembrar o sucesso da Nova Banda e contribuir com a homenagem aos 30 anos do axé.

Uma linda composição de Marcos Sena e a interpretação na voz de Meyre Kal.

sábado, 2 de janeiro de 2016

Cruz das Almas no Globo Repórter

No programa de ontem, primeiro programa do primeiro dia do ano de 2016, Cruz das Almas esteve presente no programa Globo Repórter.

No Site G1 da Rede Globo no endereço (http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/01/mandioca-sustentou-pioneiros-na-maior-cidade-do-brasil.html) consta a seguinte reportagem:

"Os carvoeiros de Cantiano, na Itália, faziam o almoço só com o que eles podiam levar para o mato. A carne estava protegida na linguiça. A energia vinha do grande do fubá de milho.
Mas antes de se tornar um dos queridinhos da Europa, o milho enfrentou muito preconceito por lá. É que os europeus ricos estavam acostumados com o que eles chamavam de cereais nobres como o trigo, a cevada, a aveia. E eles não aceitavam a ideia de comer o mesmo cereal que era dado aos porcos.
Mas como sempre, a necessidade deu um jeito nisso. Foram os italianos pobres da região de Cantiano que criaram uma receita que em pouco tempo se tornaria famosa tanto ali quanto no Brasil, “la polenta”. Prática, nutritiva e deliciosa. Tudo que uma receita simples precisa ser.
E por que eles não comiam, simplesmente, o milho cozido? É que a espiga dura pouco. O fubá tem a virtude de ser farinha. Essa vantagem é ainda mais forte na prima brasileira dos alimentos: a mandioca.
A farinha de mandioca é herança dos índios, que já moíam a raiz e torravam o farelo muito antes do descobrimento. Era chamada farinha de pau e viabilizou a colonização e o desbravamento do país. Para falar da mandioca, serve um vilarejo – ou a maior cidade do país. A mandioca foi um dos motivos para a fundação de São Paulo.
E pelo Brasil afora, mandioca vira tapioca, petisco, beiju, pirão, angu... E vira festa, na praça de Cruz das Almas."
Vejam os vídeos:
https://www.facebook.com/PortalCruzalmenseOficial/videos/193919267625057/?theater

http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/01/mandioca-sustentou-pioneiros-na-maior-cidade-do-brasil.html