domingo, 16 de abril de 2017

Homenagem a Oton Silva

Poema pra Oton Silva

Os cinquenta anos de lida
Resumiram de forma peculiar
O que ele viu da vida
No final como um Assum Preto
Não podia mais enxergar
Mesmo assim manteve erguida
Sua vontade e maneira de lutar

Tinha título de abusado
Atentado, teimoso e brincalhão
Não passava, nunca, despercebido
E ainda foi mestre na Comunicação

Sua forma de ver o mundo
Era fazendo o outro sorrir
Quem diria que esse Raimundo
Tão cedo ia partir?

Oton Silva era a sua graça
Marta e Maria, sua herança
Era filho de uma “Lorinha”
Luciana, o amor, que nunca cansa

Amigo de verdade
Que da guitarra baiana era fã
O Bahia, minha porra! Sua paixão
E com o sorriso, sempre, no rosto
Não sabia, nunca, dizer não

Cruz das Almas te recebeu
Em sua história como um filhão
Só que agora, ficamos órfãos
Do nosso amado-amigo-irmão.
  
Wagner Gomes / Waguinho
15/04/2017

Foto: Facebook (arquivo pessoal Luciana Lordelo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário